Irapuan Lima: confira curiosidades sobre o programa de um dos maiores comunidadores do Ceará O Memória do Nordeste dessa terça-feira (05) relembrou a história de um dos mais populares programas de auditório do Ceará através do seu apresentador, Irapuan Lima. Irreverência, carisma, poder de comunicação eram suas marcas registradas

07/07/2016 - 14h45 - Redação Web - TV Diário
a- a+


irapuan lima
Memória do Nordeste dessa terça-feira (05) relembrou a história de um dos mais populares programas de auditório do Ceará através da trajetória do seu apresentador: Irapuan Lima. Irreverência, carisma e poder de comunicação eram suas marcas registradas. Ele fez sucesso também como locutor de rádio e começou ainda bem jovem, na Rádio Iracema, mas foi na TV, com o Programa Irapuan Lima, onde fez muito sucesso, levando o nome do Estado para o resto do País. 
 
Durante sua carreira na TV, Irapuan teve três produtores; um deles foi o amigo Francisco Félix, que conheceu na Ceará Rádio Clube. "Eu vim para a Ceará Rádio Clube e conheci o Irapuan. O primeiro produtor dele foi o Paulo Lima Verde, o segundo foi o Vasconcelos e o terceiro foi o 'Chico' Félix que ficou com ele por 16 anos, até ele (Irapuan) desaparecer e partir para outro Carnaval", lembrou o ex-produtor Francisco Félix, se referindo a ele mesmo como 'o Chico Félix'. O produtor chegou a substituí-lo em algumas edições do programa. 
 
Na televisão, Irapuan trabalhou na TV Ceará, Canal 2, na TV Verdes Mares e na TV Cidade. Sebastião Belmino, que atualmente apresenta o programa A Grande Jogada na TV Diário, chegou a trabalhar como cinegrafista de Irapuan. "Eu era câmera-man e fiz alguns programas com câmera no Programa do Irapuan. Ele estourou mesmo foi no canal 10 com o programa, após sair do canal 2. Depois ele terminou na TV Cidade, sempre com muito sucesso", afirmou o apresentador Sebastião Belmino. 
 
Artistas famosos
 
A audiência do programa era sustentada pelo carisma do apresentador, que se comunicava e conversava com o telespectador de forma única. Além disso, vários artistas famosos nacionalmente passavam pelo palco de Irapuan. "Ele trazia os principais artistas que faziam sucesso no eixo Rio-São Paulo. Ele trouxe quase todos os artistas que fizeram sucesso na década de 1970. Ele tinha um patrocínio da Varig, que tinha um avião que fazia muito sucesso naquela época, e ele trazia os artistas nesse avião e a empresa descontava essas passagens em publicidade", explicou Belmino. 
 
Ivon Curi, Emilinha Borba, Sílvio Caldas, Luiz Gonzaga, Waldick Soriano, Nelson Gonçalves, Sidney Magal e outros grandes nomes se apresentaram no programa. "Ele fez uma suíte na casa dele para poder hospedar os artistas. Automaticamente, ele não pagava hospedagem. Após o programa, esses artistas faziam shows em clubes nos subúrbios, onde ele podia cobrar ingresso e já cobria o cachê do artista. Mas foi através do Irapuan que todos esses artistas que fizem sucesso na década de 1970 vinham pra Fortaleza", contou Sebastião Belmino. 
 
 

 
Comunicador visionário e empreendedor
 
Irapuan Lima foi um comunicador visionário e empreendedor tanto no sucesso de suas atrações como de seus patrocinadores. Quem assistiu ao programa dele lembra do frango entregue aos calouros, do patrocinador de massas e biscoitos e do famoso óculos do Cacá. Bordões e jingles ficaram famosos na voz do apresentador.
 
"Quando ele chegava em uma casa comercial, ele já chegava gritando no meio da rua. Se ele não saísse de lá com o patrocínio dele, ele saía com algum objeto para sortear no programa", lembrou Francisco Félix. Irapuan teve fiéis patrocinadores e foi sempre grato a eles. "Em homenagem aos empresários, ele criou um troféu que entregava a eles. Era uma maneira de agradecer também o apoio do empresário ao programa dele", disse.
 
Até no quadro de calouros, os empresários estavam presentes e, de uma forma irreverente, ele fazia o comercial. "Tinha até uma brincadeira que se fazia onde os calouros ganhavam um frango. Só que o pessoal dizia que era frango de araque porque as pessoas seguravam o frango no ar, mas quando saía, a produção tomava de volta porque só tinha um", relembrou Belmino. 
 
Um dos seus maiores e fiéis patrocinadores foi José Airton Boris, das Óticas Boris. O ex-vendedor ambulante, ainda no começo como empresário, recebeu uma proposta de Irapuan Lima. "Eu recebi uma visita do meu amigo Irapuan na ótica em 1975, me convidando para participar como anunciante do programa dele e eu disse pra ele que não tinha condições de assumir um compromisso sem saber se ia dar certo. Mas ele garantiu que o programa dele tinha bastante audiência. E foi no momento em que eu estava com desejo de deixar de ser um atacadista de óculos esportivos para começar a vender óculos de grau", explicou o empresário. Empresas como Gerardo Bastos, Macarrão Fortaleza e Óticas Boris foram grandes patrocinadores naquela época.  
 
 

 
Para a família
 
Irapuan Lima foi Rei Momo em Fortaleza na década de 1960 por três carnavais. A alegria não faltava no palco dos auditórios pelos quais passou. As tarde de sábado ficavam mais alegres quando ele chegava de roupas coloridas e até engraçadas. O programa ficava lotado de atrações. No palco, jurados adultos e infantis. Uma das crianças era a jornalista Danielly Portela, que entrou no programa do Irapuan com 4 anos. 
 
"Eu lembro que eu gostava muito. Eu ficava muito empolgada. Nunca foi um sacrifício pra mim, eu nunca fui à força, eu nunca chorei pra não ir. Isso eu lembro muito bem. Era a minha diversão, a minha alegria do sábado", lembrou. Danielly, que lia mensagens no programa, mesmo sem saber ler. A jornalista explicou que sempre contou com a ajuda da mãe para decorar os textos. 
 
"Eu gravava a mensagem em um gravadorzinho e ela ficava ouvindo e repetindo. Ela decorava bem rapidinho. Enquanto não passava a hora em que ela falava, eu não sossegava, achava que ela ia errar", disse Leonia Portela, mãe de Danielly.
 
Xuxa cearense 
 
A vida da loira Lionah Dias também foi marcada por Irapuan Lima, que se destacou no palco do comunicador. Ela fazia parte do quadro das irapuetes. "Eu estudava e trabalhava em uma loja de discos. Um certo dia, eu estava passando pelo Centro e ele estava saindo do escritório dele, na rua 24 de Maio. Eu passei e me surpreendi, não acreditava que era ele quem eu estava vendo. Disse que era um sonho estar vendo ele pessoalmente. Conversamos e uma semana depois, eu estava no programa dele dançando", explicou Lionah.
 
Lionah ficou conhecida na época como a Xuxa cearense pela semelhança com a nova modelo que surgia naquela época. Seus sábados também era dedicados ao programa, que logo a tirou do anonimato. "Tinham os ensaios também na semana. Trabalhar com ele foi mágico pra mim. Me revelei como Xuxinha pela semelhança com a Xuxa e em menos de 6 meses, eu já era a mulher mais querida do estado do Ceará", relembrou. 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - TV e Cinema

Veja mais

Comentários

VC na tv diário

Flagrou algo inusitado ou presenciou um fato marcante? Envie seu material - foto ou vídeo - para a produção do seu programa favorito.

Fale conosco

Fale diretamente com a produção dos programas da TV Diário. Atenção: o formulário abaixo não permite o envio de anexos.