Glitter: confira 4 alternativas ecológicas de purpurina para usar neste Carnaval Saiba como cair na folia sem abrir mão do brilho e agredindo minimamente a natureza com soluções encontradas na sua cozinha

10/02/2017 - 13h32
a- a+


Carnaval
As cores e brilhos tomaram conta do Pré-Carnaval de Fortaleza (Foto: Foto Nah Jereissati)

Carnaval é época de diversão, danças, fantasias, brincadeiras e muito, mas muito brilho. Há alguns anos uma onda colorida de glitter vem se espalhando pelos blocos de todo o País. Porém, neste fevereiro, a tendência divertida ganhou o título de vilão após ambientalistas apontarem que pózinho tão amado causa um impacto ambiental negativo na natureza e, principalmente, na vida marinha.

A principal justificativa é de que os produtos são feitos de pequenas partículas de plásticos (microplásticos), que levam mais de 400 anos para se decompor e se somam a outras poluições direcionadas ao oceano, causando riscos aos animais marinhos, que confundem o glitter com comida e acumulam os microplásticos no corpo.

A situação é preocupante. Um levantamento divulgado pela revista Environmental Research Letters apontou que, de todos os produtos que alcançam os oceanos, 236 mil toneladas métricas seriam de microplásticos. O glitter pode até não ser o único responsável, mas contribui.

Para os que querem cair na folia sem abrir mão da purpurina e da sustentabilidade, existem algumas soluções simples e fáceis, que você pode até encontrar na cozinha da sua casa.

Glitter

Você pode trocar o glitter por...

Sal! Isso mesmo, a primeira receita de purpurina sustentável é a mais barata e só usa dois ingredientes: sal e corante alimentício. O sal pode ser o comum de cozinha, porém, os sais mais grossos, incluindo o kosher e o sal marinho, costumam dar mais certo. A receita é simples, basta misturar os dois elementos e deixar secar naturalmente ou levar ao forno pré-aquecido numa travessa por 10 a 15 minutos. 

Outra opção que também pode ser encontrada na sua cozinha é o glitter feito de gelatina. O passo-a-passo é mais complicado e demorado, mas vale a pena. Você vai usar três ingredientes: uma colher de sopa de gelatina em pó sem sabor, três colheres de sopa de água gelada e corante comestível. Também é necessário ter em mãos um borrifado em spray, um pincel largo e macio, um liquidificador ou microprocessador e um tapete de silicone ou uma superfície plástica plana.

Coloque a gelatina em pó num potinho de vidro ou louça, borrife a água gelada uniformemente, sem misturar. Coloque no microondas por 30 segundos, parando a cada 10 segundos para misturar. Acrescente o corante alimentício e misture bem. Pincele a gelatina na superfície escolhida até formar camadas finas. Deixe secar por no mínimo 6 horas. Depois de seco a mistura vira uma “folha” colorida de gelatina. Corte a folha em pedaços menores e por fim "bata" no microprocessador de alimentos ou em um liquidificador por alguns minutos. Se seu desejo é obter um glitter de dois tamanhos use uma peneira.    

Não entedeu bem? Assista aqui ao tutorial:

Alternativa mais simples

Se você não quer ter muito trabalho, pode apostar em algo pronto, como o açúcar de confeiteiro colorido. Um saquinho de 500g do produto custa em média R$ 6 e é facilmente encontrado em lojas de artigos para festa e confeitaria. Também é nesses estabelecimentos que você pode comprar o pó de decoração para bolos e doces, também conhecido como glitter comestível, que custa por volta de R$ 13. Porém o efeito do pó se assemelha mais a uma sombra cosmética do que ao glitter.

Além de sustentáveis, os pózinhos alternativos são comestíveis e solúveis em água, tornando a remoção mais fácil. Uma última dica é apostar na cola para cílios na hora de fixá-los na pele, garantindo que o efeito brilhante dure mais tempo.  

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Moda e Beleza

Veja mais

Comentários

VC na tv diário

Flagrou algo inusitado ou presenciou um fato marcante? Envie seu material - foto ou vídeo - para a produção do seu programa favorito.

Fale conosco

Fale diretamente com a produção dos programas da TV Diário. Atenção: o formulário abaixo não permite o envio de anexos.